segunda-feira, dezembro 27

8.9


Katsushika Hokusai
| The Great Wave Off Kanagawa | 1823-29

4 daguerreótipos:

Blogger Calamity Spot said...

one of my favourite pictures in the whooooooooole world. :)

9:50 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ainda a dualidade do sentir... também gosto muito desta gravura, mas assusta-me o poder que representa: a força descomunal e, por vezes, devastadora, de alguns elementos da natureza.

margem

10:51 da tarde  
Blogger Calamity Spot said...

margem, mas sabes uma coisa: essa é que é a beleza disto tudo. nós só cá estamos de passagem, num mundo que não nos pertence. nós damos cabo de tudo à nossa passagem. contudo, sabe-se bem pensar que a mãe natureza pode mais e que ninguém se lhe pode opôr quando vem reclamar o que é seu. :)

(isto não quer de modo algum dizer que eu fique contente por testemunhar os desastres naturais que vitimizam a espécie humana. pelo contrário. mas a verdade é que, em certa medida, penso que o merecemos. não fazemos nós também, tantas vezes, muito pior ao planeta?)

12:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

esse sentir de que falei, claire, tinha-o mas com menor intensidade. escrevendo, não me consegui abstrair da outra ?imagem?, a dos acontecimentos recentes.

é bem verdade o que dizes. temos adaptado a natureza à nossa imagem e às nossas necessidades; por sobrevivência (precisamos de habitar um pedaço de terra, de usar e transformar recursos naturais para as nossas necessidades básicas); mas, em muitos casos e cada vez mais, por ganância e de forma egoisticamente alienada.
estamos cá de passagem, mas gostaria de sentir que pertencemos aqui. às vezes, penso: fomos surgindo e sofrendo alterações, como formas de vida, sem o pedirmos. não somos também natureza, parte dela? é nesse sentido que terei de entender o que nos vai acontecendo, o nascimento, a sobrevivência, a doença, a ?lei do mais forte?, as consequências das nossas acções destruidoras, a morte?

margem

2:35 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Blogs:

Silêncio - Húmus - Little Black Spot - Coisa Ruim - RainSong - Acknowledge Yourself - Citador - Laranja Amarga - O mundo à minha procura - Via da Verdade - Elasticidade - A Magnólia - Chafarica Iconoclasta - Que farei quando tudo arde? - Almocreve das Petas - Um Blog Sobre Kleist - Welcome to Elsinore - Eternuridade - Touch of Evil - Todos os Guarda-Chuvas de Londres - As Ruínas Circulares - Substrato - Inner Mirror - Espelhos Velados - À Espera dos Bárbaros - Vadiar - Respirar o mesmo ar - Bloguítica - Estrela Cansada - JPCoutinho - Juramento Sem Bandeira - Viva Espanha - Torneiras de Freud - Crónicas da Terra - Desassossegada - Homem a Dias - Rua da Judiaria - Roda Livre - Tempo Dual - Triciclo Feliz - Ponto em Fuga - Dragoscópio - A Natureza do Mal - Portugal dos Pequeninos - Avatares de Desejo - Fora do Mundo - Universos Desfeitos - A aba de Heisenberg - Reflexos de Azul Eléctrico - Charutos, Jazz, Uísque e Blog - Daily Dose of Imagery - Vitriolica - Mola de Roupa - The Serendipitous Cacophonies - As Barbas do Hernani - O Inimigo Musical - you've been flirting away - Carrocel Estelar - Dias com árvores - trato-me por tu - um mundo imaginado - O Estrelado - Um Lugar Chamado Perdição - a (in)visibilidade das coisas - Abóbora-Menina - Ardeu a Viola - o último metro - Contra a Corrente - such beautiful poses - VitorRua's Weblog - Callas em vez de televisão - Pula Pula Pulga - Viver todos os dias cansa - No Arame - Quartzo, Feldspato & Mica - Universos Desfeitos - Linha dos Nodos - zé aquilino santos, o passageiro... - Last Tapes - Random Precision - Gotas d'Água - Bodião Reticulado - O Talento da Mediocridade - A vida é larga - Policromia - Vazio - Diário de Bordo - Blog do Desassossego - Glooka - ante mare, undae - A razão tem sempre cliente - Instalação - Paredes Oblíquas - Voz do Deserto - Onde eu estou. - No Bairro do Aleixo - Polegadas - Silvia Sem Filtro - H Gasolim Ultramarino - educação sentimental - Escrúpulos Precários - Paralelo.36 - 10 Segundos - Estórias D'Embalar - silsmaria - Eros & Thanatos - A arte da fuga - As Aranhas - Cidade Surpreendente - a forma do jazz - Da mão para a boca - sob a Terra - Post Secret

Arquivos:

:Setembro 2004::Outubro 2004::Novembro 2004::Dezembro 2004::Janeiro 2005::Fevereiro 2005::Março 2005::Abril 2005::Maio 2005::Junho 2005::Julho 2005: