quinta-feira, abril 28









Monsanto | 2005

terça-feira, abril 26


Mais horas, mais dias, mais semanas, mais anos. E é só isso.









Sortelha | 2005

domingo, abril 24

I hear you! Câmbio.

Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?
O Hotel Branco, D.M. Thomas
Já alguma vez ficaste apanhadinha(o) por um personagem de ficção?
Settembrini (A Montanha Mágica, Thomas Mann)
Mickey Sabbath (O Teatro de Sabbath, Phillip Roth)
Spofforth (Ave-do-Arremedo, Walter Tevis)
o pianocktail e os nenúfares d'A Espuma dos Dias (Boris Vian)
as de Margarita e o Mestre (Mikhail Bulgakov)

Qual foi o último livro que compraste?
Isidore Ducasse, Os Cantos de Maldoror
Thomas Bernhard, O Sobrinho de Wittgenstein
Octavia E. Butler, Madrugada | Ritos de Maioridade

Qual o último livro que leste?
Samuel Beckett, O Inominável | Murphy
Que livros estás a ler?
Eça de Queirós, A Relíquia
José Alberto Oliveira, Bestiário (para a frente e para trás, há praí trezentos anos)
Thomas Nagel, A Última Palavra

Que livros (5) levarias para uma ilha deserta?
Guillermo Cabrera Infante, Havana para um Infante Defunto
Cervantes, D. Quixote de la Mancha
Walt Whitman, Folhas de Erva
Baudelaire, As Flores do Mal
Samuel Beckett, Molloy
Walter Tevis, A Ave-do-Arremedo (este seria perfeitamente aldrabável, no boné)

A quem vais passar este testemunho (três pessoas) e porquê?
Ao Luís; ao knuque; ao FDV e à ange (são três, não são?)
Por curiosidade.

quinta-feira, abril 21


Está um dia lindo. Chove frio e nevoeiro. Vou andar de boca aberta: de espanto, para me limpar por dentro e para me fazer de tolo. Assim ninguém me chateia.

terça-feira, abril 19

Cargo

terça-feira, abril 12

Spofforth


Shotaro Shimomura


Depois sente nas costas nuas os cabelos dela e, com o corpo já a começar a inclinar-se-lhe para diante, sente-lhe a boca encostada às costas, a beijá-las ao de leve... sente-lhe o hálito suave e morno de mulher. Abre os braços, um para cada lado. E cai.


Walter Tevis | Ave-do-Arremedo (Mockingbird) | 1980

domingo, abril 10


Harmenszoon van Rijn Rembrandt | The Anatomy Lesson of Dr. Tulp |
Oil on canvas; 169,5 x 216,5 cm | 1632 |
Mauritshuis, Den Haag

quinta-feira, abril 7



The sun shone, having no alternative, on the nothing new.




Samuel Beckett | (primeira frase de) Murphy | 1938

terça-feira, abril 5

femme fatale no tecto-de-abrir


Sarajevo | 2002


Morreu Maria, na noite do dia em que a manhã choveu desde madrugada, ao recusar-se continuar para um bando de bêbados inúteis com histórias de abandonos, arritmias e filhos retalhados por dentro. Quanto mais sabotava a música melhor lhe saíam as dores; a banda calou-se, pareceu ficar um sax, tímido, como eco dos seus murmúrios, mas não havia sax nenhum, era ela que abafava o lamento arrancando cabelo atrás de cabelo. Stormy Weather, Maria.


Maria do post de baixo oferecia opulentas formas de mulher ao mundo, quase tudo no sítio. Procurava amor, mas um pouco de sexo já não seria mau. Os homens pediam-lhe longos orgasmos na forma dos blues do Delta. «O delta!», estremecia (o delta estremecia-lhe) Maria. Que cruz, a tua voz.


Maria, quando cantava, cantava bem. Quando cantava, fazia calor. Mas ela nem sempre cantava, para desespero de quem tremia ao morrer.

domingo, abril 3

Nunca estive noutro lugar senão aqui, nunca ninguém me tirou daqui. Basta de me armar em criança que de tanto ouvir dizer que foi uma cegonha que a trouxe, acaba por se lembrar do campanário onde essa cegonha fazia ninho e do tipo de vida que aí levava antes de vir ao mundo. Não falarei mais de corpos e de trajectórias, do céu e da terra, não sei o que isso é. Eles disseram-me, explicaram-me, descreveram-me como é isso tudo, e para que serve, mil e uma vezes, uns a seguir aos outros, com as intenções mais variadas, numa unanimidade absoluta, até eu parecer que estava de facto a par. Quem diria, ao ouvir-me, que nunca vi nada, nunca ouvi nada a não ser as suas vozes? (...) Chegou a minha vez de fingir que estou morto, a mim que eles não souberam fazer nascer, e a carapaça de monstro que me envolve apodrecerá. Mas é totalmente uma questão de voz, qualquer outra metáfora é imprópria.


Samuel Beckett | O Inominável | 1949
/ Nan Goldin | Anthony By The Sea | 1979

Godspeed

A série This is my road tell me yours vai submergir no paul dos arquivos. Last chance.

Play it all night long


Vaclav Chochola | Tanecnice Club (Dancer in Front of a Drum) | 1941


Zappa | Joe's Garage Act I | 1979

sábado, abril 2

Estão aqui:

[Setting:]
Douglas Spalding, 12 anos, tenta convencer "o bom do Senhor Sanderson", dono da sapataria da terra, a vender-lhe um par de ténis "Royal Crown Cream-Sponge para Litefoot - Nos teus pés, são como mentol!".


-Eu dou-lhe o dinheiro que tenho, o senhor dá-me os sapatos e eu fico a dever-lhe um dólar. Mas, Sr. Sanderson, mas... o senhor sabe o que vai acontecer assim que eu tiver esses sapatos nos pés?

-O que é?

-Bum! Vou entregar embrulhos, vou buscar embrulhos, vou buscar café para o senhor, queimo-lhe o lixo, vou ao correio, vou ao telégrafo, vou à biblioteca! O senhor vai ver doze como eu a entrar e a saír, a entrar e a saír a toda a hora. Está a sentir esses sapatos, Sr. Sanderson, está a sentir a rapidez que eles me vão dar? Com essas molas todas que têm? Está a sentir as correrias que eles têm lá dentro? Está a sentir como eles se agarram a uma pessoa e não a largam e não a querem parada? Está a sentir a rapidez com que eu vou fazer as coisas com que o senhor não se quer maçar? O senhor fica aqui na loja ao fresquinho e eu vou andar a correr por essa cidade! Mas não sou eu, são os sapatos. A correr como doidos por essas avenidas, a virar esquinas e a voltar para aqui! Lá vão eles! (...)

-Ó rapaz - disse por fim o Sr. Sanderson -, tu gostavas de ter aqui emprego, daqui a cinco anos, para vender sapatos?

-Ah, muito obrigado, Sr. Sanderson, mas eu ainda não sei o que vou ser...


Ray Bradbury | A Cidade Fantástica | (Dandelion Wine)

Blogs:

Silêncio - Húmus - Little Black Spot - Coisa Ruim - RainSong - Acknowledge Yourself - Citador - Laranja Amarga - O mundo à minha procura - Via da Verdade - Elasticidade - A Magnólia - Chafarica Iconoclasta - Que farei quando tudo arde? - Almocreve das Petas - Um Blog Sobre Kleist - Welcome to Elsinore - Eternuridade - Touch of Evil - Todos os Guarda-Chuvas de Londres - As Ruínas Circulares - Substrato - Inner Mirror - Espelhos Velados - À Espera dos Bárbaros - Vadiar - Respirar o mesmo ar - Bloguítica - Estrela Cansada - JPCoutinho - Juramento Sem Bandeira - Viva Espanha - Torneiras de Freud - Crónicas da Terra - Desassossegada - Homem a Dias - Rua da Judiaria - Roda Livre - Tempo Dual - Triciclo Feliz - Ponto em Fuga - Dragoscópio - A Natureza do Mal - Portugal dos Pequeninos - Avatares de Desejo - Fora do Mundo - Universos Desfeitos - A aba de Heisenberg - Reflexos de Azul Eléctrico - Charutos, Jazz, Uísque e Blog - Daily Dose of Imagery - Vitriolica - Mola de Roupa - The Serendipitous Cacophonies - As Barbas do Hernani - O Inimigo Musical - you've been flirting away - Carrocel Estelar - Dias com árvores - trato-me por tu - um mundo imaginado - O Estrelado - Um Lugar Chamado Perdição - a (in)visibilidade das coisas - Abóbora-Menina - Ardeu a Viola - o último metro - Contra a Corrente - such beautiful poses - VitorRua's Weblog - Callas em vez de televisão - Pula Pula Pulga - Viver todos os dias cansa - No Arame - Quartzo, Feldspato & Mica - Universos Desfeitos - Linha dos Nodos - zé aquilino santos, o passageiro... - Last Tapes - Random Precision - Gotas d'Água - Bodião Reticulado - O Talento da Mediocridade - A vida é larga - Policromia - Vazio - Diário de Bordo - Blog do Desassossego - Glooka - ante mare, undae - A razão tem sempre cliente - Instalação - Paredes Oblíquas - Voz do Deserto - Onde eu estou. - No Bairro do Aleixo - Polegadas - Silvia Sem Filtro - H Gasolim Ultramarino - educação sentimental - Escrúpulos Precários - Paralelo.36 - 10 Segundos - Estórias D'Embalar - silsmaria - Eros & Thanatos - A arte da fuga - As Aranhas - Cidade Surpreendente - a forma do jazz - Da mão para a boca - sob a Terra - Post Secret

Arquivos:

:Setembro 2004::Outubro 2004::Novembro 2004::Dezembro 2004::Janeiro 2005::Fevereiro 2005::Março 2005::Abril 2005::Maio 2005::Junho 2005::Julho 2005: